Dicas

Como fazer um Briefing: 5 erros para não cometer

Por 25 de janeiro de 2019 Sem comentários

O briefing é uma das principais ferramentas utilizadas por profissionais de marketing. Ele é um documento que contém todas as informações necessárias para que uma agência de publicidade possa conduzir as demandas de seus clientes.

Não se trata de um simples rascunho, mas, sim, de um mapa com todos os dados que servirão como parâmetro na hora de desenvolver produtos, serviços ou ações voltadas para o público-alvo de uma determinada marca ou empresa.

Nele, devem ser evidenciados os problemas que existem na conjuntura atual do cliente e quais soluções seriam ideais para solucioná-los. Dessa forma, é possível definir os objetivos com precisão e identificar o melhor caminho para alcançá-los.

Se você quer saber como fazer um briefing eficiente, acompanhe a leitura deste artigo para conferir quais os 5 erros que devem ser evitados na hora de elaborar esse documento!

Como fazer um briefing?

Primeiramente, é preciso entender que existem inúmeros modelos disponíveis gratuitamente na internet e não há um padrão de briefing a ser seguido como ideal. No entanto, se você pretende estabelecer um padrão, é fundamental analisar quais são suas necessidades e de seus clientes.

Após testar vários modelos — para checar qual funciona melhor em seu cotidiano — é necessário estabelecer um que possa ser usado para todos os clientes, como forma de otimizar o trabalho da equipe.

Quais erros não cometer ao fazer um briefing?

Independente da forma pela qual você decida conduzir a construção do briefing, é importante não cometer alguns erros, como os que estão elencados abaixo.

1. Usar o e-mail como ferramenta para obter informações dos clientes

Apesar do e-mail ser um recurso indispensável que facilita a troca de informações de maneira prática, rápida e eficiente, assuntos relacionados ao briefing devem ser conversados presencialmente ou por videoconferência.

Um e-mail dá muita margem para falhas humanas de comunicação — dificuldade para que uma das partes entenda o que está sendo proposto. Assim, há chances de que o processo resulte no fracasso de uma negociação, por exemplo.

2. Ignorar os objetivos

Estabelecer objetivos é a melhor forma de direcionar o plano de marketing. Porém, muitos profissionais não entendem que é preciso primeiro questionar quais são os problemas do cliente. Por exemplo:

  • Onde estou?
  • Onde quero chegar?
  • O que preciso fazer?

No caso de um briefing voltado para materiais gráficos, adicione uma descrição breve, destacando as metas que se deseja alcançar e, posteriormente, qual ação deve ser realizada, por exemplo.

3. Não analisar a concorrência

Como descobrir qual seu diferencial competitivo se você não traçar o perfil dos concorrentes, não é verdade? Dito isso, é imprescindível definir as principais marcas que oferecem concorrência direta ou indireta, assim como seus produtos ou serviços, preços praticados, descontos, ações para fidelização etc.

Insira também os pontos fortes e fracos dos concorrentes e, é claro, os canais de comunicação e mídias que eles utilizam para conversar com o público. Assim será muito mais fácil desenvolver um briefing assertivo.

4. Não inserir muita informação

Ao mesmo tempo em que o briefing precisa ser bastante completo, deve-se evitar que o modelo fique muito grande. O indicado é que ele tenha informações de qualidade, e não em quantidade.

Além disso, a leitura não deve ser cansativa, longa e com poucos dados, que podem ser verificados publicamente. Tenha bom senso e não se esqueça da regra do “menos é mais”, que também se aplica a esse contexto.

5. Não se aprofundar

Um briefing superficial é tão negativo quanto fazer um roteiro cheio de perguntas “engessadas”. Entre os fatores que causam esse tipo de problema, podemos citar:

  • falta de geração de valor no momento da apresentação da proposta;
  • falta de entendimento do real problema do cliente;
  • construção de uma proposta desalinhada.

Como você conferiu neste artigo sobre como fazer um briefing, esse documento é indispensável, já que atua como um mapa que mostra todo o caminho a ser percorrido para que seu cliente atinja seus objetivos. Além disso, mostramos quais são os erros mais cometidos ao desenvolver um briefing e por que eles ocorrem com tanta frequência.

Agora que você já conhece os principais erros ao se fazer um briefing, não deixe de conferir também as melhores práticas sobre como fidelizar clientes!

Deixe uma Resposta